Casa de Fátima – meu cantinho em “Moz”

No post anterior falei sobre minha caça a um lugar seguro e barato em Maputo. Já estou doidinho para postar outras coisas por aqui, mas vamos por etapas. Primeiro, vamos ao meu cantinho em “Moz”, apelido carinhoso que os moçambicanos dão à Moçambique.

Não foi nada fácil achar um local, mas enfim, rodei vários sítios (lugares) como dizem por aqui, e escolhi permanecer pelos próximos seis meses em um hostel. O nome dele é Fatima’s Backpackers Mozambique, um lugar de trânsito que eu resolvi estacionar.

Bar Dragão

Quando cheguei à portaria estava tocando uma música do “Seu Jorge”. “Pronto! Pensei cá com meus botões, é aqui que vou ficar oh páh”. E não deu outra. A escolha foi bem simples: fui pelo bom, bonito e barato, além da boa música é claro, que toca o dia inteiro no “Bar Dragão”. Gostei da atmosfera do local e os preços me foram convidativos.

Um dos poucos albergues em Maputo, o Fatima’s recebe gente de várias partes do mundo (China, Austrália, Estados Unidos, França, Portugal, Inglaterra, Índia, Espanha, África do Sul, Alemanha)  e o clima é “superagradável”.

Um misto do colorido africano um pouco aportuguesado, eu diria. “Tudo começou porque já fui jornalista um dia. Nos momentos em que Moçambique vivia um estado de sítio, comecei a abrir a minha casa para receber repórteres portugueses que vieram cobrir a guerra. Depois de um tempo vieram mais jornalistas de outros países da Europa e a coisa cresceu mais e mais. O Fatima’s começou dessa forma, eu recebia jornalistas e quando percebi essa  vocação para o turismo em Maputo, anos depois, criei uma estrutura para receber pessoas do mundo todo. Temos também outro sítio chamado Ninho de Fátima em Inhambane, na praia de Tofo”, afirma Fátima, a moçambicana proprietária do hostel.

A África é, naturalmente, um destino singular e colorido. E o hostel em questão é um pouco disso tudo. Não é nenhum cinco estrelas com mármore no chão, toalhas quentes, lencinhos umedecidos e torneiras douradas, mas acolhe bem quem quer um dia bater no peito e falar que foi mochileiro pelo mundo.  

Localização e segurança

A Casa de Fátima tem segurança na portaria 24h. Toda vez que se entra e sai com bagagens é necessária a apresentação de documento pessoal, além dos recibos das bagagens expedidos no ckeck out do hostel. Tudo bastante controlado e isso dá uma certa segurança e conforto.

O hostel está localizado no núcleo português de Maputo, ao longo de uma das principais vias, a Mao Tsé Tung.  Se você quiser ficar por aqui vai estar a uma curta distância de  lojas, restaurantes, escolas, universidades e bares da região central de Maputo.

 Quartos e Casas de Banho

Os quartos são bons. Cada um com um nome e com decoração típica. Como não poderia deixar de ser, eu fiquei no quarto: “África”. Mas tem os quartos: “o capulana”, “o elefante”, “o girafa”, “o caju”, “o manga” e por aí vai. O que é importante falar é que todos os quartos (que são comuns e individuais – dependendo da sua escolha) vêm com mosquiteiros, que são uma necessidade nesta zona de malária.  É mais uma precaução, mas é altamente recomendado.  E os banheiros são relativamente bons para um padrão de mochileiros.  Tem água quente (risos).

Espaços comuns e um ritmo baiano

O mais legal é a área comum. Ampla e convidativa a uma boa conversa entre os mochileiros. As instalações incluem cozinha com fogão e talheres.  É tudo um pouco rústico e é sempre limpinho.

É um um hostel descontraído e amistoso, e as coisas por aqui funcionam num rítmo próprio.  Isso pode se traduzir num atendimento que, muitas vezes, caminha em uma velocidade de tartaruga.

Enfim, é um local com acomodações dignas, com preços razoáveis e o pacote já vem com a típica vibe moçambicana (um pouco similar à baiana, diga-se de passagem e  essencialmente generosa e acolhedora).

Descrito pelo Lonely Planet como “uma riqueza de informações sobre Moçambique”, o Fatima’s tem duas Backpackers em Moçambique, uma em Maputo que é essa que estou, e outra que se chama “Ninho de Fátima” na praia de Tofo, província de Inhambane.

Acho que vale à pena conhecer as duas. Já estou me programando para ir em breve à Tofo. Espera que você tenha gostado! Hambanine!

Para mais informações clique aqui.

Uma resposta em “Casa de Fátima – meu cantinho em “Moz”

  1. Pingback: Catembe e Praia dos Amores | Terras de Moçambique

Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s